Cultura e Arte.      
Simples, sem ser óbvio.      

Os 5 Contos de Fadas com versões originais mais macabras

Assassinatos, estupros, tortura – todos sabem que as origens dos contos de fadas estão longe de ser fofas. Conheça nossa seleção dos contos originais mais sinistros.

 

Todos sabemos como vai terminar: o príncipe beija a princesas, e todos vivem felizes para sempre. Mas será que foi sempre assim?

A verdade é que a maioria dos contos de fadas que nós conhecemos hoje, em sua origem, tinham finais muito mais extremos, e envolviam temas mais pesados, como canibalismo, homicídio e tortura. Com o tempo (e, geralmente, com a Disney) eles foram abrandados para versões mais politicamente corretas, adequadas para as crianças hoje.

 

Contos de Fadas

 

Para entender os motivos dessas origens macabras, precisamos considerar o contexto em que a maioria dos nossos contos de fadas surgiram. Esses eram contos populares entre populações de pequenos vilarejos medievais onde hoje estão Alemanha e França. Nessas ocasiões, as histórias serviam tanto para educar as crianças – daí a “moral” incluída em cada história – quanto para distrair e entreter os adultos.

Os contos de fadas começaram a ser visto como “infantis” a partir dos Irmãos Grimm, que colecionaram vários contos alemães sob o nome de Contos de fadas para crianças. Mesmo assim, mantiveram a maioria dos detalhes sórdidos. Por que? Bom, precisamos lembrar que as crianças daquele tempo viviam em um mundo em que estavam muito mais expostas, convivendo mais diariamente e de forma direta com violência e morte. Ser devorado por um lobo, por exemplo, era um risco real.

Conheça então as 5 piores versões originais de contos de fadas. E, se você conhecer mais alguma origem bizarra, não deixe de nos contar nos comentários!

 

 

5. A Gata Borralheira, ou Cinderella

Na história que conhecemos, a nobre e bondosa Cinderella é obrigada a realizar os serviços domésticos dia e noite por sua madrasta má. Graças à fada madrinha, ela vai ao baile real, conhece o príncipe, mas precisa ir embora antes da meia-noite. Quando foge às pressas, derruba um sapatinho de cristal, que o príncipe usa para encontrá-la. E todos vivem felizes para sempre.

O interessante é que Cinderella é uma das histórias com mais versões mundo afora, incluindo uma Cinderella chinesa de 850 d.C. (que tem um enorme peixe dourado como fada-madrinha), chamada Yeh-Hsien. Aliás, a versão mais antiga – a história de Rhodopis, praticamente idêntica à Cinderella moderna – foi escrita no século I a. C., por Stabo.

A versão mais próxima da que conhecemos é de Charles Perrault, que incluiu a carruagem de abóbora e os sapatinhos de cristal. 

 

Cinderella

 

Nas versões mais antigas da história, Cinderella não é tão boazinha assim. Na realidade, ela assassinava a sua primeira madrasta para que seu pai pudesse se casar com a empregada – que depois, viria a se tornar a “madrasta má”.

Além disso, a história é mais violenta. Quando o príncipe chegava na casa de Cinderella para calçar o sapatinho nos moças, as irmãs malvadas mutilavam os próprios pés, cortando os dedos e os calcanhares, para tentar enganá-lo. Diante da falsidade delas, passarinhos entravam pela janela e bicavam seus olhos, até elas ficarem cegas. Credo!

 

 

4. Cachinhos Dourados

A história da menina intrometida, que entra na casa dos três ursos para comer o seu mingau, sentar em suas cadeiras e dormir em suas camas não é especialmente popular no Brasil. Ainda assim, Cachinhos Dourados é um clássico.

Como a história termina mesmo? Ah, sim: a garota acorda e depara-se com três ursos, muito bravos (com toda razão), e pula uma janela, fugindo pela floresta.

Mas esse final (que, convenhamos, tem um jeitinho de improvisado mesmo) não é o original.

 

Cachinhos Dourados

 

Esse é um conto de fadas mais “novinho” – a sua versão original data de 1837. Nela, existem duas variações para o final. Em uma, os ursos destroçam e devoram Cachinhos Dourados. Na outra, Cachinhos Dourados – que, na realidade, seria uma velhinha (?) – salta da janela e quebra o pescoço.

Posteriormente, surgiu uma terceira versão em que Cachinhos Dourados vai presa, por invasão de domicílio. Justo.

 

 

3. Branca de Neve

Um dos mais populares contos de fadas de todos os tempos. Branca de Neve conta a história da linda princesa, com a pele mais branca que a neve, que sofre com a inveja de sua madrasta má. Obrigada a exilar-se na floresta, na casa de sete pequenos anões, a princesa é enganada pela madrasta/bruxa a comer uma maçã envenenada. Os anões a colocam em um caixão de cristal e um belo príncipe, de passagem pela floresta, a vê  e resolve beijá-la. Voilà! O feitiço da bruxa má é quebrado e Branca de Neve vai casar-se com o príncipe e viver feliz para sempre.

O primeiro fato interessante sobre esse conto é de que ele possivelmente foi inspirado em fatos reais. No século XVI, viveu uma princesa chamada Margarete von Waldeck, conhecida por sua beleza. Ela cresceu na região de Waldeck – onde as crianças pequenas, que trabalhavam nas minas, eram conhecidas como “anões” – e era detestada por sua madrasta. Felipe II, da Espanha, decidiu casar-se com a bela jovem, mas antes que isso fosse possível ela morreu envenenada. Muito provavelmente, a história da linda jovem que perdeu a vida cedo demais ganhou força no imaginário popular, sendo depois adaptado pelos irmãos Grimm.

 

Branca de Neve

 

As primeira versões, contudo, estavam longe de serem “fofas”.

Bom, todos devem lembrar que, no filme da Disney, a rainha má pede ao caçador que mate Branca de Neve, e traga como prova do feito o coração da moça. Ok. No original, o coração – e, em muitas variações, os pulmões, rins, e outros órgãos internos – devem ser trazidos para que a rainha coma-os. Eca!

Um dos momentos mais românticos da história que conhecemos é quando o príncipe acorda Branca de Neve com um beijo de amor verdadeiro. Mas, originalmente, ele coloca a moça desfalecida em seu cavalo, para levá-la ao castelo – e ela acorda com o trotar do animal. O que o príncipe gostaria de fazer com o cadáver de uma bela moça dispensa comentários.

E um último detalhe que não podemos ignorar é o destino da vilã. Na versão original, ela é submetida a um tratamento digno de um dos filmes de Jogos Mortais: fazem ela dançar até a morte, calçando sapatos de ferro em brasa.

 

 

2. Chapeuzinho Vermelho

O clássico conto da meninha que encontra com um Lobo Malvado no caminho para a casa de sua avó. O lobo engana a menina e chega antes na casa da vovózinha, devorando-a inteira (ou, em versões ainda mais politicamente corretas, trancando e velhinha no armário). Quando a Chapeuzinho Vermelho finalmente chega, ela encontra o Lobo disfarçado de vovó, rola o famoso diálogo “Que olhos grandes você tem”, e parece que tudo está perdido… Até que chega um Caçador, Lenhador ou similar, e acaba com o Lobo, salvando o dia!

Esse foi um conto muito difundido nos tempos medievais e, consequentemente, tem uma infinidade de versões - a maioria delas, muito mais cruéis que a que conhecemos.

Como você deve ter imaginado, o Lenhador foi uma invenção posterior, para abrandar a história. E, como tal, em quase todas as versões Chapeuzinho e Vovózinha se dão mal no final.

 

Chapeuzinho Vermelho

 

Na versão (já “censurada”) de Charles Perrault, Chapeuzinho Vermelho – uma moça bem criada – pede instruções para o Lobo Mau para chegar à casa da Vovó. Ele ensina o caminho errado, segue a moça e a devora. Moral da história? Não fale com estranhos.

Mas, em versões ainda mais antigas, o Lobo Mau chega antes na casa da Vovó, a mata e prepara a sua carne, para depois convidar a Chapeuzinho para um delicioso jantar (Eca, eca, eca!). E, claro, depois dessa nutritiva refeição ele também devora a moça.

Há ainda versões mais calientes da história, nas quais Chapeuzinho faz um strip-tease para o Lobo, e foge enquanto ele está “distraído” (?).

 

 

1. A Bela Adormecida

Essa história é provavelmente a que tem a versão original mais bizarra. Na história que conhecemos, a Bela Adormecida é vítima de uma maldição, e, após furar o dedo em uma roca de fiar, adormece. Quando recebe o beijo de amor verdadeiro de seu príncipe encantado, acorda, e os dois vivem felizes para sempre.

 

Bela Adormecida

 

Na versão original, contudo, a moça não é vítima de uma maldição, mas de uma profecia. Aos quinze anos, ela prende um espinho venenoso sob a unha do dedo, e adormece.

Eis que surge um rei, que vê a jovem desfalecida e resolve aproveitar-se dela. Isso mesmo que você está imaginando. Tanto que, nove meses depois, a ainda-adormecida princesa dá a luz a gêmeos. As crianças, buscando o leite materno, chupam um de seus dedos, retirando o espinho – e Bela Adormecida acorda (violada e mãe de duas crianças, que ela sequer sabe de onde surgiram).

Como se não bastasse tudo isso, o rei manda buscar a moça e as crianças, convenientemente esquecendo de avisar que ele é casado. Resultado: a esposa do rei tenta matar Bela Adormecida e as crianças, mas é impedida e assassinada pelo próprio rei. Assim, a bela princesa fica livre para casar com o seu estuprador, e todos vivem felizes para sempre (!).

431
182

182 Comentários

  1. Bianca 8 de agosto de 2014 Responder

    Bom, no texto q eu ouvi falar sobre a “Chapelzinho vermelho”, é um pouco diferente …
    A chapelzinho estava de vestido, usava uma blusa ,e uma manta vermelha e um meião até o joelho e um sapato de salto preto.Morava ne uma cazinha um pouquinho afastada da cidade, e sua vó um pouco mais longe q isso, então vamos começar…
    “A mãe da menina mandou a garota levar algumas coisas de comer para sua vó,que foi mais ou menos as cinco horas, antes de escurecer…Quando chegou la , comeram algumas coisas e conversaram , e estão chapelzinho teria ido embora mais ou menos seis e meia ja escuro, ao passar perto de uma adega (onde vendiam vinhos, e antigamente não entravam mulheres),despertou a curiosidade de um homem ‘O que faria uma menina de uns 15 anos sozinha na floresta com aqueles trajes ao anoitecer?’, então o homem a seguiu e abordou a inda um pouco longe de casa , estrupou a garota , e a deixou desmaiada no mato.Quando a menina acordou estava gravida e perdida na floresta .”
    Um pouco trágica mais seria o contexto da verdadeira historia.

  2. Lorena 5 de agosto de 2014 Responder

    Deus é mais. Na outra versão que vi da cinderela diz que ela faz um pacto com demônio para ter o encanto. E não com a fada madrinha.

  3. izabella 28 de julho de 2014 Responder

    Eu acho que ninguém deve assistir esse filmes . Sou crista temho 12 anos e trabalho com crianças, e eu nunca assistir nenhum desses filmes e nos que vimos isso temos que evangelizar e dizer as crianças q não assistam esses filmes’.’

  4. elsa 26 de julho de 2014 Responder

    nossaaaa que horrivel eu vi um da ariel !!!!!!!! assim :ela consegue ser humano mais ela ver eric se casando com outra e pega uma faca para mata los mais prefere se jogar no mar e se dissolver em espuma pois ai a espuma tipo sei la queima ela por dentro que suas costelas mostram e os seus orgaos sai para fora e seu braço esta tod queimado e ela vira novamente sereia toda queimada e sua calda completamente queimada mostrando seus ossos e cheios de sangues e ela tem o seu rosto caindo a pele e para ter pernas de volta ela amarra a cinderela em uma rede e acaba retirando as pernas de cinderela para ela voltar a ter pernas !!! e a historia da chapeuzinho vermelho e bem estranha :a chapeuzinho vermelho iria ate a casa de sua avo mais encontra um lobo no caminho e acaba perguntando o caminho ate a casa da avo mais ele da instruçoes erradas e vai por outro caminho e acaba devorando a avo de chapeuzinho e quando chapeuzinho chega na casa o lobo acaba tirando sua roupa e a estuprando mais em outra versao ela acaba matando o lobo mal com uma faca e retirando seus orgaos e em outra versao ela acaba fazendo um strip tiz para ele e foge enquanto ele esta distraido mais ja em outra versao nao sei kkkk

  5. Marcely 20 de julho de 2014 Responder

    ola boa tarde gostaria de saber se vc sabe aonde posso encontra ou baixar este livro da bela adormecida aonde ela e estrupada e tenhe filhos
    des de já agradeço

  6. shara 3 de julho de 2014 Responder

    na vdd a historia da chapelzinho num e bem assim,na historia real nao existe o lobo mal somente o caçador, e chapeuzinho para pra perguntar para o caçador onde e o caminho para ir a casa da vovo, e ele a estupra’-’

  7. bia 29 de junho de 2014 Responder

    q coisas malignas

  8. Aurora 8 de junho de 2014 Responder

    Desnecessário dizer que eu tenho o mesmo nome da bela adormecida, e uma das minha amigas adoram ficar implicando comigo por isso.
    Mais ela me falou que um dos gêmeos morre e o rei mata a Aurora.

  9. Claudio Adas 3 de junho de 2014 Responder

    Na edição “Contos Maravilhosos Infantis e Domésticos” (Cosac Naify, 2012, tradução de Christine Röhrig) a história da Bela Adormecida não é nada parecida com o que você relatou acima. Esta tradução baseia-se no original dos irmãos Grimm de 1812. Fiquei curioso em saber de onde surgiu esta versão que inclui estupro e gravidez.

    • Autor
      Juliana Piesco 22 de junho de 2014 Responder

      Oi, Claudio!

      Se não me engano, essa versão é baseada, mas já sofreu adaptações para torná-la mais compatível com as crianças de hoje em dia. Essa versão está em The Annotated Brothers Grimm e The Annotated Fairy Tales, ambos de Maria Tatar.

      Abs!

  10. Redy 15 de maio de 2014 Responder

    Naquele tempo eles emendavam vários contos. Por exemplo, a Cinderela da primeira versão a jovem Gabriella( Não sei se este é o nome dela mais estou certa que vi um filme que a chamava assim.)era bem parecida com sua mãe.
    Então antes da rainha que estava doente morrer ela fez ele prometer que só se casaria com alguém mais bonita que ela = Gabriella. Então ela pede para o pai vestidos com cores até então desconhecidas a ela, como a cor do tempo. Então ela pede a pele de um animal , se disfarça e foge para longe. Onde ela acaba na casa de duas irmãs mal educadas e sua mãe malvada e despresivel. Se perceber o começo da história é igual a Pele de Asno,e uma outra que não me lembro o titulo , mais que quando a protagonista falava saiam diamantes de seus lábios e mãe nevada.

    Oque muda no fim dessas histórias:
    -Pele de Asno:O principe foi procurar a mulher com quem dançara durante a noite, com o vestido cor do tempo, loira e bela. Quem esta em casa vestida com a pele do asno banqueiro de seu pai? Isso a Princesa.

    - Princesa de As Fadas( titulo Original, mais tarde alterado .) : O principe viu sairem de sua boca diamantes, e eles foram em sua antiga casa onde as irmas dela tentaram fazer o principe casar-se com elas.

    - Mãe nevada : Em um baile o principe viu diamantes que saiam de seus labios e a buscou pelo reino. Exatamente como cinderela.

    Cinderela: A coisa toda do sapatinho acontece, e talz. Mais lembro de uma versão de um filme que vi com uns 6 anos que Cinderela era cadeirante e a única magica que a fada madrinha fez foi fazer ela andar por uma noite. Quando o principe a encontrou as irmas deram em cima dele.

    Acho que naquele tempo uma história tinha muitas variações, por esse fato podemos perceber que Cinderela, Mãe nevada, Pele de Asno e mãe nevada é a mesma estória simplesmente alterada em algumas partes.

Escreva uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE